Pinhão e Favaios na XI Mostra de Teatro do Douro


Num fim de semana com dois espetáculos e dedicado ao concelho de Alijó, a XI Mostra de Teatro do Douro passou na sexta-feira pelo Pinhão com “Os Pelintras” do Grupo de Teatro do Centro Cultural Lordelense e no sábado por Favaios com “Não há uma sem duas” do Grupo de Teatro Aldeia Verde de Lazarim.

As divertidas peripécias de uma fa Num fim de semana com dois espetáculos e dedicado ao concelho de Alijó, a XI Mostra de Teatro do Douro passou na sexta-feira pelo Pinhão com “Os Pelintras” do Grupo de Teatro do Centro Cultural Lordelense e no sábado por Favaios com “Não há uma sem duas” do Grupo de Teatro Aldeia Verde de Lazarim.

As divertidas peripécias de uma família que não é aquilo que parece encantaram o público da vila do Pinhão que encheu por completo a Casa do Povo local. “Os Pelintras” são uma família de Caxias com bastantes esquemas e conta com encenação de Joaquim Ferreira. Já em Favaios, o Teatro António Augusto Assunção, que este ano comemora o seu centésimo aniversário, recebeu uma família muito especial onde duas sogras vão tentando coabitar enquanto enganam os respetivos filhos. Um texto original com encenação de Lurdes Silva.

No Pinhão, Mila Brigas, em representação do Grupo de Teatro do Centro Cultural Lordelense não deixou de agradecer o convite para mais uma vez integrar o festival e recordou a paixão de fazer teatro mesmo quando existem dificuldades. Em Favaios, Raffaelle Batista, agradeceu o contributo do festival para a comemoração dos centésimo aniversário do Teatro António Augusto Assunção e destacou a qualidade da peça. Já Mafalda Mendes, vereadora da cultura da Câmara Municipal de Alijó enalteceu o papel da Associação Vale d’Ouro na promoção da cultura na região e lançou o convite para acompanhar a rota mágico do teatro pelo vale encantado. Lurdes Silva, encenadora do Grupo de Teatro Aldeia Verde, agradeceu a presença do público que constitui uma motivação adicional e João Machado da Ofitefa recordou que uma máquina não funciona apenas com grandes engrenagens, mas também com as suas partes mais pequenas, numa alusão à importância da recuperação do Teatro António Augusto Assunção.

A XI Mostra de Teatro do Douro segue agora para Mesão Frio que receberá no próximo sábado “Falar Verdade a Mentir”, a peça de Almeida Garret trazida a cena pelo Núcleo de Teatro da Associação Cultural de Vermoim, a partir das 21h30.

Todas as informações estão disponíveis em www.mostrateatrodouro.associacaovaledouro.pt .

  Redigido por: Direção de Comunicação Associação Vale d’Ouro


05 maio 2019