Falta Linha do Douro no 20.º Aniversário do Douro



A Associação Vale d’Ouro assinala o 20.º aniversário da classificação do Douro como Património Mundial com um vídeo em que reivindica como “prenda” a reabertura do troço internacional da Linha do Douro para permitir a ligação a Salamanca.

A instituição sedeada no Pinhão, no coração do Douro, não poderia deixar de assinalar o 20.º aniversário da classificação de património mundial que a UNESCO atribuiu em 2001 ao Douro. Em linha com a defesa que tem feito nos últimos anos, a Associação Vale d’Ouro reclama que a melhor “prenda” que a região poderia ter nesta data seria o inequívoco compromisso com a reabertura do troço internacional desta linha.

No vídeo de pouco mais de 4 minutos são recordados os marcos históricos da linha mas também algumas das características e perspetivas para o futuro da mesma. Com foco na reabertura do troço Pocinho – Barca d’Alva, a Associação Vale d’Ouro avança com uma estimativa na ordem dos 50 milhões de euros para que os comboios começam a circular a curto prazo até à fronteira. De acordo com a instituição, o investimento na linha do Douro revolucionará a mobilidade na região reaproximando os territórios transfronteiriços do litoral, aproximando o Douro e devolvendo ao país um dos seus tesouros mais bem guardados.

Luís Almeida, Presidente da Direção da Associação Vale d’Ouro, lamenta que o dia não seja o de lançar a primeira pedra, ou no casso a primeira travessa da reabertura: “estamos a falar de um investimento muito reduzido, já validado pela Assembleia da República e com capacidade de gerar um retorno capaz de amortizar rapidamente o investimento”. Para o dirigente associativo a prenda perfeita era a reabertura: “havia condições para que hoje estivesse a iniciar-se a obra da reabertura até Barca d’Alva, infelizmente continuamos à espera de uma comissão de trabalho, continuamos à espera que a obra da eletrificação entre o Marco e a Régua comece e que o projeto da eletrificação entre a Régua e o Pocinho seja lançado”.

Sobre os motivos do lançamento do vídeo, o responsável associativo recorda: “este é o grande assunto na agenda na região, num dia tão importante é imperativo que a Linha do Douro seja tema central”. Depois de 20 anos da classificação considera que o balanço é positivo: “cresci num território antes da classificação e vê-lo evoluir neste período foi muito interessante, ainda falta fazer muito e corrigir muito, há uma sensação no território que pouco mudou mas penso que na globalidade estamos melhor”. Sobre a região acrescenta: “ainda falta uma entidade que possa defender os interesses do Douro e integrar todas as dimensões que concorrem para o desenvolvimento do território, a CIM Douro, desde há 4 anos, começou a fazer muito desse trabalho, mas faltam mais competências para que possa assumir totalmente esse papel”.

Além deste vídeo sobre a Linha do Douro, a Associação Vale d’Ouro transmitirá durante a semana quatro entrevistas realizadas a jovens residentes na região onde abordam a sua visão para a região.



13 dezembro 2021